Untitled Document
HOME | ENTRE EM CONTATO   
Untitled Document
SUGESTÕES DE TRABALHO

SUGESTÃO 1

PROJETO: A HISTÓRIA NOS MARCOS DA IDADE


Áreas: Artes, história, geografia e português
Fontes de informação: Livros dos 450 anos de São Paulo e outros
Colaboradores: Familiares, artistas plásticos e outras pessoas da comunidade.

JUSTIFICATIVA
“Uma imagem vale mais que mil palavras”.

A história de uma cidade pode ser contada por meio das imagens que ela transmite e por meio da ocupação de seus espaços, de suas obras de arte e de sua arquitetura.

No caso deste projeto, as imagens usadas são as fotografias dos principais marcos da cidade de São Paulo. A proposta de trabalho é que o professor garanta a interação entre os espaços da cidade e as referências históricas no espaço escolar.

O papel de mediador exercido pelo professor é essencial para que os alunos aprendam a interagir com a cidade, suas obras de arte e a arquitetura, de forma a estabelecer diálogos capazes de construir significados, juízos de valor e apreciações. A leitura sensível, atenta e sistemática constitui, por sua vez, rico alimento para a expressão pessoal, condição que amplia as possibilidades para que a criança produza arte e conheça sua cidade. No caso deste projeto a leitura das imagens é de fundamental importância para que os alunos possam aprender aspectos da história da cidade de São Paulo.

Ao lado da intenção de contextualizar a história de São Paulo através das imagens, o estudo do texto que acompanha a obra cumpre a função de incrementar o conhecimento das crianças a respeito da linguagem escrita e da história e geografia de São Paulo. Conhecendo um novo gênero textual, suas funções e algumas de suas características, elas estarão desenvolvendo-se enquanto leitoras e produtoras de texto.

SUGESTÕES DE PRODUTO FINAL

1. Exposição dos desenhos, esculturas ou maquetes. As crianças atuando como monitoras dos visitantes da exposição.
2. Vídeo sobre o marco visitado acompanhado de uma exposição oral ou folheto.
3. Caderno coletivo com a documentação do projeto, no qual podem ser registradas as diferentes etapas percorridas pela classe.

APRENDIZAGEM DOS ALUNOS

-participação nas situações em que os adultos lêem textos;
-participação em situações de leitura por si mesmo;
-observação e manuseio de materiais impressos previamente apresentados;
-valorização da leitura como fonte de informação, prazer e entretenimento.
-escrita de textos relativos às imagens;
-produção de textos coletivos ditados ao professor;
-prática de escrita de próprio punho, utilizando o conhecimento de que dispõe, no momento, sobre o sistema de escrita;
-respeito pelas produções escritas, próprias e alheias.
-elaboração de perguntas e respostas de acordo com os diversos contextos de que participa;
-participação em situações que envolvem a necessidade de explicar e argumentar suas idéias e pontos de vista;
-relato de experiências vividas e narração de fatos em seqüência temporal e causal.
-criação de modalidades artísticas (como pintura, desenho escultura e a combinação delas) a partir do seu próprio repertório e da utilização dos elementos da linguagem visual
-linha, cor, forma
-e da composição: figura e fundo;
-exploração e utilização de alguns procedimentos necessários para criar nas modalidades artísticas;
-exploração e aprofundamento das possibilidades oferecidas pelos diversos meios e suportes necessários para o fazer artístico;
-organização e cuidado com os materiais no espaço físico da sala de aula e da escola;
-respeito e cuidado com os trabalhos produzidos individualmente e em grupo;
-valorização de suas próprias produções, de outras crianças e da produção da arte em geral.
-apreciação de diversas imagens da cidade de São Paulo;
-apreciação e observação das paisagens de São Paulo;
-apreciação de obras de artistas que retratam a cidade de São Paulo;
-apreciação das suas produções e das dos colegas por meio da observação e leitura dos elementos da linguagem visual
-linha, cor, forma e composição: figura e fundo;
-apreciação das imagens de arte e produções dos alunos para analisar os processos de criação;
-leitura de paisagens a partir da observação, descrição e interpretação de imagens e de visita aos locais;

HISTÓRIA

Prática de pesquisa

- Buscar informações em diferentes tipos de fontes (entrevistas, livros, imagens, etc.);
- Interpretar documentos de diferentes naturezas;
- Comparação de informações e perspectivas diferentes sobre um mesmo acontecimento ou tema histórico;
- Registro em diferentes formas: textos, livros, vídeos, exposições etc;
- Prática de valorização do patrimônio cultural e histórico;
- Valorizar o patrimônio cultural e histórico de uma cidade;
- Respeitar as diferenças individuais e coletivas;
- Reconhecer as mudanças e permanências na vida urbana;
- Reconhecer elementos do passado no presente.

GEOGRAFIA

Prática de identificação espacial

- Conhecer a organização do espaço geográfico urbano;
- Ler imagens de dados e de documentos de diferentes fontes de informação, a fim de analisar as informações sobre o espaço geográfico e as diferentes paisagens;
- Ler mapas e fazer representações espaciais;
- Valorizar o patrimônio sócio-cultural;
- Compreender as paisagens urbanas;
- Identificar e avaliar as ações dos homens na formação de uma cidade e suas conseqüências em diferentes tempos e espaços.
- Reconhecer o papel das tecnologias, da informação, da comunicação e dos transportes na formação das paisagens urbanas.

DESENVOLVIMENTO DO PROJETO

Selecionando os materiais necessários:

Antes mesmo de iniciar o trabalho com os alunos, o professor se prepara selecionando as imagens e os textos que serão usados. Para isso, faz uma pesquisa nos livros dos 450 anos de São Paulo, disponível também on-line, procurando identificar aquilo que é mais adequado ao seu grupo, à sua classe.

Compartilhando o projeto com os alunos:

Ao iniciar o desenvolvimento do projeto com os alunos, o professor compartilha com eles o que vai ser feito a partir de uma situação preparada previamente com a intenção de tornar significativo todo o trabalho que têm pela frente. Contudo, ao invés de apenas informá-los sobre a escolha do projeto e elaborar questões, ele organiza uma situação-problema cuja resolução direciona o desenvolvimento do trabalho, favorecendo o envolvimento dos alunos, ao mesmo tempo em que permite conhecer o que eles sabem e o que ainda precisam saber sobre o tema do projeto.

Uma maneira de compartilhar este projeto com os alunos seria, por exemplo, indagar o seguinte: “se quiséssemos apresentar a cidade de São Paulo para outras pessoas que não a conhecem,como faríamos?” Nesse momento, o professor registra as diferentes possibilidades apontadas, cuidando de problematizá-las para que, progressivamente, os alunos se sintam co-responsáveis pelo desenvolvimento do projeto, conheçam o propósito comunicativo que se pretende alcançar e antecipem as possíveis etapas a serem percorridas no trabalho. Após esta primeira colocação, pode-se perguntar aos alunos se eles conhecem os principais marcos da cidade de São Paulo. É importante esclarecer o que são marcos relacionando com algo mais próximos deles, como os marcos do bairro onde moram, por exemplo. Após este primeiro aquecimento, pode-se iniciar o trabalho com as lâminas contidas no livro.

A imagem

É importante que se mostre lâmina por lâmina para fazer um trabalho bem detalhado e estabelecer realmente um diálogo entre os alunos e a imagem apresentada. As perguntas podem ser do tipo: onde fica? Em que tempo isto foi construído? Como as pessoas viviam nesta época? É parecido ou diferente com o que se tem hoje? Como era a cidade naquela época? Seria bem importante ter um mapa da cidade para que os alunos pudessem se localizar (onde moram, onde ficam estes marcos etc.). Após este diálogo, o professor pode ler ou contar o que está escrito no livro. Se for possível e se os alunos já souberem ler, cada dupla pode ter um texto para acompanhar.

Após estas observações, cada grupo de crianças recebe uma imagem, lápis e papel para desenhar o todo ou detalhes que mais lhes chamaram a atenção. Explicar que podem se imaginar com uma máquina fotográfica que pode fazer um Zoom naquilo que for mais interessante. Fazer uma primeira exposição dos trabalhos realizados.

O Texto

O texto pode ser usado tanto para ser falado em um seminário como para ser escrito, acompanhado das imagens.

Se for possível para a escola, pode-se escolher um dos marcos históricos para serem visitados. Neste caso é importante que todos os alunos já estejam dominando os conhecimentos básicos sobre este marco para aproveitarem melhor a visita. Todos devem ter como material básico caderno, lápis, papel, prancheta e papéis para desenho. A etapa seguinte pretende aproximar os alunos das obras por meio do contato planejado. São propostos momentos de observação nos quais professor e alunos se propõem a conhecê-las, prestando atenção aos seus detalhes arquitetônicos, plásticos, históricos e geográficos. Essas observações normalmente conduzem também a conversas em que a subjetividade de seus participantes tem lugar assegurado: pode-se falar também a respeito dos sentimentos que os lugares despertam, das lembranças que trazem e das associações que elas suscitam.

Ao retornar, o professor pode fazer uma roda de discussão e anotação das principais impressões, para depois voltar ao texto original do livro e aprofundar os conhecimentos.

Todos os materiais reunidos (textos, desenhos, fotos) podem ser expostos em uma exposição para toda a escola ou para algumas classes.
Para a seleção das imagens realizadas pelas crianças que farão parte da exposição o professor planeja uma situação em que os trabalhos estejam organizados e expostos em um espaço adequado para que as obras sejam compartilhadas com outras pessoas: os visitantes da exposição ou os leitores caderno de registro. A necessidade de fazer escolhas negociadas entre professor e alunos provocará discussões e argumentações e tornará imprescindível a intervenção docente.

Tendo feito a escolha do que será mostrado, é preciso envolver os alunos na montagem da exposição. É importante assegurar que eles terão tarefas definidas e variadas para cumprir, de forma que todos possam colaborar no trabalho coletivo.

Não se pode esquecer que as crianças também têm um importante papel a desempenhar durante o evento de finalização do projeto. Para isso, precisam saber, desde o começo do trabalho, quem serão os seus interlocutores, isto é, qual será o público da exposição ou quem será o leitor do álbum que elas produzirão. Elas precisam ser preparadas para realizar a monitoria dos visitantes sabendo se comunicar oralmente com eles. Nesta situação, podem, por exemplo, relatar como desenvolveram as etapas do projeto. Podem também falar sobre os diferentes materiais e suportes que utilizaram, sobre as descobertas que fizeram, sobre fatos interessantes de suas histórias, sobre os pontos da cidade que conheceram.

Por fim, deve-se considerar que, também na divulgação da finalização do projeto, é necessário assegurar o envolvimento e a participação dos alunos.


Untitled Document
 SUGESTÕES DE TRABALHO

Copyright © BEI - Todos os direitos reservados