Untitled Document
HOME | ENTRE EM CONTATO   
Untitled Document
SUGESTÕES DE TRABALHO

SUGESTÃO 5

PROJETO: UM PASSEIO PELO CENTRO DA CIDADE


Áreas: Artes, história, geografia e português
Fontes de informação: Livros dos 450 anos de São Paulo e outros
Colaboradores: Familiares, artistas plásticos e outras pessoas da comunidade.

Introdução

A história de uma cidade pode ser ensinada através da enumeração dos eventos importantes que nela se deram, desde sua fundação. Outra forma de abordar esse conhecimento é através de seus marcos históricos, ou seja, dos “estilos arquitetônicos, logradouros, prédios públicos, religiosos, comerciais, esportivos e de lazer, manifestações artísticas ou, simplesmente, alicerces de uma fundação, pedras gastas pelo tempo”¹ que ainda presentes na paisagem, são documentos de outras épocas.

Se conhecer tais marcos é uma forma de compreender a história da cidade, fazendo com que um simples passeio por algumas de suas ruas se transforme numa “viagem no tempo”, isso só será verdadeiramente produtivo se acompanhado de informações relativas a seu valor no momento em que foram concebidos e, ao longo de sua existência.

Aprender a valorizar os marcos históricos de uma cidade é um trabalho importante a ser realizado pela escola, pois entre outros, são manifestações culturais que ajudam cada cidadão a compreender melhor a realidade de seu povo. Conhecer tais marcos, não apenas através de uma visita, mas também por entender seu significado em diferentes momentos da história da cidade, entender que foram palco de diferentes acontecimentos importantes, permite compreender a importância de preservá-los para as gerações futuras, o que se contrapõe a um processo de transformação intenso, que desconsidera o valor cultural de algumas das construções que são substituídas por outras, em nome do progresso.

Através desta seqüência de atividades, sugerimos o estudo de alguns marcos importantes, que se relacionam a diferentes períodos da história da cidade (o pátio do colégio, o viaduto do chá, o edifício Martinelli e o Teatro Municipal). Em cada uma das etapas se abordará um desses marcos e no final do estudo será proposto um passeio turístico pelo centro de São Paulo. Dessa forma pretende-se que os alunos compreendam que cada uma das edificações “têm diferentes histórias para contar”, e ao mesmo tempo permitir que reconheçam que a história está presente em nossos dias, através de diferentes manifestações: os marcos históricos são uma delas.

Objetivos

•  Perceber que o estudo dos marcos históricos de uma cidade é uma forma importante de conhecer sua história;
•  Conhecer os marcos históricos através de uma visita, mas também conhecer os significados que tiveram para a cidade em diferentes momentos;
•  Compreender a importância de preservar o patrimônio cultural de uma cidade, pois isso é uma forma de compreender melhor diferentes aspectos da identidade cultural de seus cidadãos;
•  Valorizar diferentes fontes de informação histórica: edifícios e outros monumentos, textos, fotos, depoimentos;
•  Aprender a partir da exposição oral de um tema.

1- São Paulo 450 anos – de vila a metrópole, ed. BEI.

Materiais

•  São Paulo 450 anos – de vila a metrópole – textos e imagens;
•  Fotos dos marcos históricos estudados (diferentes épocas);
•  Textos variados (artigos de jornais e revistas de diferentes épocas);
•  Máquina fotográfica;
•  Pranchetas, papel e lápis;
•  Mapas do centro da cidade.

Faixa etária recomendada

2ª ou 3ª série do Ensino Fundamental

Encaminhamentos
Sugerimos uma aula expositiva para cada um dos marcos históricos que serão visitados no passeio proposto no final da seqüência. Em cada uma destas, se propõe também o uso de outros materiais de apoio, que ilustrem a fala do professor ou permitam que os alunos coloquem suas idéias sobre o que será apresentado.

Aulas expositivas

Organizamos quatro aulas expositivas com os seguintes temas:

  1. Pátio do colégio – o começo da cidade
  2. Viaduto do Chá – as mudanças da cidade através do tempo
  3. Teatro Municipal – um espaço cultural
  4. O edifício Martinelli – o primeiro arranha-céu

Em cada uma delas, o professor precisa se preparar previamente: Ele próprio será a principal fonte de informação para que os alunos aprendam sobre o assunto.

Para isso, sugerimos que antes de cada aula o professor leia os textos indicados (e outros materiais que tratem do mesmo tema); providencie com antecedência os materiais que utilizará para ilustrar sua fala ou que favoreçam que os alunos se coloquem; planeje o tempo de sua fala para garantir a atenção dos alunos (considerando sua faixa etária). Como se trata de crianças pequenas, pensamos que as exposições do professor não devam se estender por um tempo superior a 30 minutos;

É interessante também planejar uma situação que preceda a fala e que possa despertar o interesse dos alunos por aquilo que será abordado, além de tornar acessível aquilo que os alunos já conhecem. Depois de cada aula expositiva, também é importante que se planeje uma situação de registro do que foi estudado.

Aula sobre o Pátio do colégio

Professor: Leia antes da aula o texto da página 27, do material dos 450 anos, para se aprofundar no tema.

Início da conversa

Mostrar aos alunos o mapa do centro de São Paulo (há um bom modelo na página 123 do material dos 450 anos – pode-se ampliá-lo e deixá-lo afixado na classe, pois será utilizado ao longo do estudo). Dizer que para preparar o passeio ao centro, começaremos pelo estudo do local considerado como marco inicial da nossa cidade.

Para despertar o interesse e saber o que já sabem os alunos

Sugerimos que os alunos se reúnam em pequenos grupos e leiam o texto da página 27, até o primeiro parágrafo da página 28. Tal leitura permitirá que façam um desenho que melhor expresse como era o Pátio do Colégio na época da fundação de São Paulo.

Depois de expor no mural os diferentes desenhos, propor as seguintes perguntas aos alunos: quem eram os moradores de São Paulo nessa época? Para que os padres construíram um colégio na vila que se formava? Por que cercaram a cidade com muros de taipa de pilão e estacadas (como está escrito no texto)?

A aula expositiva

Deixar que os alunos coloquem suas respostas e iniciar a exposição. Como se trata de alunos que, pela faixa etária, talvez não tenham tanta familiaridade em acompanhar uma exposição, sugerimos que o professor coloque na lousa os assuntos que abordará:

PÁTIO DO COLÉGIO

•  Quem eram os moradores
•  O que era ensinado no colégio
•  Os ataques ao colégio
•  As mudanças que aconteceram ao longo do tempo

Enquanto o professor fala, pode assinalar o assunto ao qual se refere em cada momento. Outra forma de organizar o relato é apoiando-se nos marcos temporais – o ano de fundação da escola, as datas dos ataques dos índios inimigos, a saída dos jesuítas e as datas das transformações por que passou o prédio do colégio. Para que os alunos se familiarizem com as unidades de medida de tempo, além do ano, é interessante que saibam o século em que tal ocorreu.

Também é interessante que, mesmo se tratando de uma aula expositiva, o professor se preocupe em perguntar aos alunos o que acham que acontecerá, o que pensariam se estivessem presentes naquele momento etc. Também sugerimos estimular os alunos a fazerem perguntas sempre que tiverem dúvidas.

Registro escrito

Depois da aula, é interessante que haja um momento em que os alunos tenham oportunidade de registrar o que consideraram relevante no assunto tratado. Para tanto, podemos propor diferentes atividades. Neste caso, sugerimos que se coloquem no lugar de um estudante índio do colégio dos jesuítas e escrevam uma carta contando como era a vida naquela vila, o que aprendiam, como era a vila e o que afligia os moradores. Sugerimos a organização dos alunos em duplas. Depois da escrita, é interessante que os alunos leiam suas cartas para os demais.

Aula sobre o viaduto do chá

Professor – leia antes da aula o texto compreendido nas páginas 61 a 66 do material dos 450 anos.

Início da conversa

Assinalar no mapa o local onde se encontra o marco histórico que será estudado a seguir. Depois, ler em voz alta os dois primeiros parágrafos da página 61, para evidenciar que a região onde foi construído o viaduto do chá sediava chácaras em meio a diversas plantações.

Em seguida, mostrar as fotos 12, 17, 18, 19 e 20 referindo também às datas de cada uma das fotos. Pedir aos alunos que falem das diferenças que percebem que ocorreram ao longo do tempo, percebidas a partir das fotos.

Fazer uma lista das principais diferenças percebidas pelos alunos.

A aula expositiva

Antes das exposição, relacionar os assuntos que serão abordados:

VIADUTO DO CHÁ

•  Localização
•  O viaduto dos três vinténs
•  As chegada dos bondes elétricos
•  O viaduto de concreto.

A cada mudança, assinalar o assunto será abordado e não esquecer de referir das datas. Um dado importante a enfatizar é que as mudanças sofridas pelo viaduto do chá relacionam-se às mudanças nos meios de transporte utilizados: a estrutura metálica era adequada para os veículos de tração animal que circulavam até o início do século XX. Mas foi preciso reformulá-la para permitir a passagem dos bondes elétricos. Com o aumento do fluxo de veículos, o viaduto praticamente foi refeito, substituído por concreto armado.

Durante a exposição, é interessante que o professor leia para os alunos os depoimentos que estão distribuídos ao longo do texto sobre o viaduto do chá no material dos 450 anos: um deles está na página 64 (retirado do livro Memória e sociedade – lembranças de velhos da psicóloga Eclea Bosi,), o outro, de Jorge Americano, está na página 65.

Registro escrito

Depois da aula expositiva, leia para os alunos o seguinte trecho, que se encontra na página 65 do material dos 450 anos: “No dia em que os começaram a derrubar a relíquia – uma segunda feira, 18 de abril de 1.938 – não houve solenidade... Apenas alguns paulistanos, amantes do passado, cismarentos, pararam um pouco para observar os operários na sua faina, picaretas em punho, a destruir a histórica ponte, testemunha muda de um passado não muito longínquo...”. Então, pedir aos alunos que escrevam um pequeno texto explicando porque o texto fala da destruição de uma relíquia ? Por que pensam que ela estava sendo destruída? Por que fora construída? O que foi construído em seu lugar?

Sugerimos que os alunos escrevam esse pequeno texto em grupos de quatro alunos, que discutam suas respostas entre si antes da escrita e depois, que os vários grupos apresentem seus textos aos demais.

Aula sobre o Teatro Municipal

Professor – para se preparar, leia o texto que se encontra no material dos 450 anos, nas paginas 70, 71 e 72.

Além disso, é interessante buscar material sobre alguns eventos e personalidades abordados no texto: Semana de Arte Moderna, Enrico Caruso e Maria Callas, Isadora Duncan, Anna Pavlova, Nijinsky, Baryshnikov, Itália Fausta, Clara Della Guardia, Ravi Shankar e Duke Ellington.

Início da conversa

Procure em jornais recentes espetáculos que se apresentam no Teatro Municipal. Trazê-las para a classe e explicar que esta é a casa de espetáculos mais importante de São Paulo. Localizá-la no mapa e perguntar aos alunos se já ouviram falar dela, se já foram a este teatro. Fazer uma lista com tudo aquilo que os alunos dizem e depois iniciar a exposição.

A aula expositiva

Os assuntos que sugerimos que sejam abordados na exposição do professor são os seguintes:

TEATRO MUNICIPAL

•  A construção
•  A inauguração
•  Os espetáculos
•  O Teatro Municipal hoje

Enquanto se refere, especialmente às personalidades que se apresentaram no Teatro, é interessante falar brevemente de algumas das personalidades, sua importância na cena artística mundial e, se possível mostrar algumas fotos.

Quando se referir à inauguração do Teatro, pode-se fazer a leitura da matéria jornalística publicada no jornal Gazeta Artística (na página 71 do material dos 450 anos).

Registro escrito

Sugerimos que os alunos se coloquem no lugar de jornalistas e façam a cobertura da inauguração do Teatro Municipal (como se estivessem lá). Podem incluir entrevistas com artistas e com pessoas que foram assistir ao espetáculo apresentado.

Aula sobre o Edifício Martinelli

Professor – antes da aula, sugerimos leia o texto das páginas 74 e 75 do material dos 450 anos.

Início da conversa

Mostras as imagens 13 (de 1.826), 14 (de 1.862), 5 (de 1.905), 7 (de 1.955) e 8 (de 2.003) do material dos 450 anos e pedir que os alunos falem das principais mudanças que aconteceram na cidade de São Paulo, que aparecem nas fotos. Uma das diferenças refere-se à presença crescente de grandes edifícios na paisagem urbana. Se esta não for detectada, apontá-la para os alunos e dizer que nesta aula se falará do primeiro edifício que foi construído em São Paulo. Mostrar , no mapa a região onde se encontra o Edifício Martinelli (na esquina da Av. Líbero Badaró com Av. São João).

A aula expositiva

Os assuntos que podem ser abordados, a partir do que é tratado no texto são:

EDIFÍCIO MARTINELLI

•  O primeiro arranha-céu
•  Um edifício muito elegante
•  A decadência, a recuperação
•  Tombamento pelo Patrimônio Histórico

É interessante frisar para os alunos o significado do tombamento e o quanto iniciativas como essa contribuem para preservar a memória da nossa cidade.

Registro escrito

Sugerimos que os alunos descrevam por escrito a cidade vista do alto do edifício Martinelli. Porém, cada um fará isso imaginando viver numa época diferente: alguns farão a descrição no ano de 1.929, outros no ano de 1.950, outros farão suas descrições vivendo atualmente em São Paulo. Além do registro escrito, é interessante que também façam um desenho do que imaginariam “ver” na cidade do alto desse edifício.

Depois que cada um fizer seus registros, reunir aqueles que escreveram e fizeram desenhos tendo a mesma data como referência, para que decidam qual dos registros e qual dos desenhos é mais coerente com aquilo que sabem sobre a cidade da época

No final, os desenhos escolhidos, bem como os registros escritos, serão compartilhados com os demais.

Preparação do passeio

Depois de conhecerem os marcos históricos que serão visitados, numa aula prévia ao passeio, dividir os alunos em grupos que formarão equipes. Cada uma dessas equipes receberá um mapa (sugerimos reproduzir o mapa da página 123 do material) e nele, seguindo aquele que o professor expõe na lousa, reproduzirão o percurso que será feito. Sugerimos partir do Largo Pátio do Colégio (onde se verá um resto de parede de taipa, ainda do tempo da fundação de São Paulo), seguir pela Rua Quinze de Novembro até a Av. São João e depois seguir até a esquina com a rua Líbero Badaró. Ali se encontra o Edifício Martinelli (ver se é possível visitar o interior do edifício) . Voltando pela Líbero Badaró chega-se ao Viaduto do Chá e, depois de atravessá-lo, chegamos ao teatro Municipal.

É interessante que todo esse percurso seja assinalado no mapa. Também é preciso explicar o que faremos em cada uma das paradas: é interessante fotografar (levar pelo menos uma máquina fotográfica) e fazer alguns desenhos de observação. Para tanto os alunos de cada grupo podem se dividir e cada um desenhará um dos marcos. Para um mesmo marco, sugerimos que um aluno faça um desenho geral e outro desenhe um detalhe que lhe chame a atenção, um ângulo especial que julgue especial e queira compartilhar depois com seus colegas.

É interessante trabalhar com os alunos que os desenhos que farão no momento da visita são esboços: desenhos em que colocarão somente algumas linhas e depois, de volta à escola, este desenho será aprimorado.

O passeio ao centro histórico (sugerimos que esse passeio aconteça num domingo, pois com o movimento menor de pessoas, é possível apreciar melhor a paisagem).

É importante orientar os alunos par caminhar lentamente pela cidade observando o movimento de pessoas, observar como são os prédios, a que tipo de atividades as pessoas se dedicam.

Em cada um dos locais de parada, observar como está seu estado de conservação, o que atualmente acontece lá, como as pessoas utilizam-no. Além disso, dar tempo para os desenhos e se necessário, anotar observações.

Registro do passeio

Numa aula posterior ao passeio, os alunos reunirão suas observações para descrever o que mais lhes chamou a atenção em cada uma das paradas, além de trocar as impressões gerais sobre o centro histórico de São Paulo. Todas essas impressões podem ser reunidas num álbum, com textos escritos e imagens (fotos e desenhos).

Sugerimos também que os alunos, a partir dos desenhos de observação realizados nos passeios, produzam novas imagens, que se tornarão cartões postais da cidade. No verso, pequenos textos explicando dados daquela imagem também são interessantes.

Uma atividade que é possível propor é que mandem esses postais para diferentes pessoas que escolherem e contem a elas o que sabem sobre aquele marco.

 

Sites recomendados para se informar, para “visitar” com os alunos para obter novas informações sobre o centro da cidade:

http://sampacentro.terra.com.br – site que contêm informações sobre os marcos trabalhados nesta seqüência de atividades

http://www.abril.com.br/especial450/materias/viaduto/index.html - traz imagens e informações sobre o viaduto do chá.

http://www.abril.com.br/especial450/index.html - reproduz a revista publicada pela Editora Abril em comemoração ao quarto centenário da cidade de São Paulo.

Sites que contêm informações sobre as personalidades citadas na aula sobre o Teatro Municipal:

Sobre Isadora Duncan:
http://www.psicopedagogia.com.br/artes_divertimentos/bailarinos/duncan.shtml

Sobre Nijinski:
http://www.psicopedagogia.com.br/artes_divertimentos/bailarinos/nijinski.shtml

Semana de Arte Moderna, Enrico Caruso e Maria Callas, Isadora Duncan, Anna Pavlova, Nijinsky, Baryshnikov, Itália Fausta, Clara Della Guardia, Ravi Shankar e Duke Ellington.

Sobre Baryshnikov
http://www.psicopedagogia.com.br/artes_divertimentos/bailarinos/baryshnikov.shtml

Sobre Enrico Caruso
http://www.bricabrac.com.br/main_disco_caruso.htm

Sobre Maria Callas
http://br.yahoo.com/olimpiadas2004/especiais/grecia_4_callas.php

Sobre Anna Pavlova
http://www.psicopedagogia.com.br/artes_divertimentos/bailarinos/pavlova.shtml

Sobre Itália Fausta
http://www.antaprofana.com.br/Grandes_Figuras_1.2.htm

Sobre Ravi Shankar
http://musica.terra.com.br/interna/0,,OI368715-EI1267,00.html

Sobre Duke Ellington
http://certasmusicas.digi.com.br/jazzblues/duke.html

Sobre a Semana de Arte Moderna
http://www.asemanade22.hpg.ig.com.br/

http://www1.folha.uol.com.br/folha/almanaque/semana22.htm

 

Untitled Document
 SUGESTÕES DE TRABALHO

Copyright © BEI - Todos os direitos reservados